Cobaias paraplégicas voltam a andar após implante celular e exercício físico

Os primeiros resultados da pesquisa ‘Regeneração Neuronal na Lesão Crônica da Medula Espinal Traumática por Terapia Híbrida: Implante Celular e Exercício Físico’ são mais do que animadores. Caso sua aplicação em seres humanos confirme o que se conseguiu com animais de laboratório, o resultado será revolucionário. Ratos paraplégicos, com lesão na vértebra T10 da medula espinhal, depois de submetidos ao tratamento, voltaram a andar1.

Pesquisas em desenvolvimento

1 Todos os procedimentos realizados com os ratos seguiram os padrões éticos internacionais de pesquisas com cobaias, o que inclui evitar que os animais sofram com a dor.


O objetivo da pesquisa é tratar lesões crônicas da medula espinhal em humanos, como as provocadas por acidentes de trânsito e arma de fogo.

O tratamento consistiu em aplicar na medula espinhal do animal paraplégico células-tronco retiradas dele próprio, associando-se a essa terapia exercícios físicos condicionados, feitos em uma piscina aquecida, seis vezes por semana. Em seis semanas, boa parte dos movimentos voltaram aos membros paralisados. Numa escala de zero (nenhum movimento) a 21 (movimentação normal), eles chegaram ao grau 18.